Pela terceira vez, criminosos invadem delegacia do AM e matam detentos

NOVO ARIPUANà– A 73ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Novo Aripuanã, a 228 quilômetros de Manaus, voltou a ser invadida por criminosos. Desta vez, dois detentos que estavam custodiados na unidade policial foram assassinados a tiros e a facadas pelos invasores. Além disso, três espingardas foram furtadas. Trata-se da terceira invasão na delegacia somente nos últimos três meses.

De acordo com a Polícia Militar, no momento em que a sede da DIP foi invadida, não havia ninguém na unidade policial. Somente após o amanhecer, quando o porteiro chegou à delegacia, é que foram encontrados os corpos dos detentos Silas da Costa Santana, 31 anos, preso por suspeita de estupro e Izaias Farias Nunes, 24, acusado de ter cometido o crime de latrocínio, caídos na recepção da unidade.

Ainda segundo a PM, os presos estavam com marcas de tiros e facadas. Durante a invasão, os bandidos levaram três espingardas da unidade de polícia, que pertenciam a um acervo da Polícia Civil. As identidades dos criminosos ainda são desconhecidas pelas autoridades.

Três invasões em três meses

Invasões à 73ª DIP de Novo Aripuanã parecem ter virado rotina. Contando com este último caso, quatro detentos já foram mortos enquanto estavam custodiados na carceragem da unidade policial, após a ação de invasores.

No dia 16 de dezembro, criminosos encapuzados invadiram a delegacia do município, durante a madrugada. O grupo libertou presos e matou um dos suspeitos de ter assassinado, com 40 facadas, um comerciante do município.

Pouco mais de um mês depois, seis homens encapuzados invadiram a delegacia e assassinaram, com um tiro de escopeta, um homem identificado como Rivair Ferreira Alves, conhecido como ‘Gavião’. Ele respondia por homicídio.

O que diz a Polícia Civil

Questionada pela equipe de reportagem do Portal EM TEMPO, a assessoria de imprensa da Polícia Civil se limitou a dizer que o delegado Alon Jefferson, responsável pela  73ª DIP, está temporariamente afastado de suas atividades policiais por estar em tratamento contra a Covid-19. 

O órgão finalizou destacando que uma equipe policial está a caminho do município, para apurar as circunstâncias do caso, e que mais informações não poderiam ser repassadas para não atrapalhar as investigações.

*Com informações do Portal Em Tempo