Juiz cita que bebida alcoólica pode servir de imunização ao contágio da COVID-19

Médico infectologista garante que não há comprovação científica na afirmação; decisão que valia para um estabelecimento de BH foi derrubada

Um juiz de Belo Horizonte citou o “notório” efeito “do álcool na exterminação do vírus” ao liberar a venda de bebidas alcoólicas em um bar da cidade, neste fim de semana. As informações são do R7

Porém a decisão foi derrubada pelo TJMG (Tribunal de Justiça de Minas Gerais), neste domingo (20), mas gerou críticas da comunidade médica.

O despacho assinado pelo juiz Wauner Batista Ferreira Machado, da 3ª Vara dos Feitos da Fazenda Pública, questiona o fato de o decreto da prefeitura proibir apenas o consumo de bebidas alcoólicas nos estabelecimentos.

“Aliás, para fins de contágio, qual é a diferença entre consumir bebidas alcoólicas e não alcoólicas, estas permitidas? Não é crível que exista uma distinção quanto a isso, na entrada do vírus no corpo humano, através dos olhos ou das vias aéreas (nariz e boca). Aliás, deveria ser o contrário, pois é notório os efeitos do álcool na exterminação do vírus”, escreveu o magistrado.

Na argumentação, Machado ainda justificou que o decreto “desequilibrou as aplicações dos Princípios constitucionais à Saúde e à Livre Inciativa” e igualou a atividade dos bares e restaurantes com a de mercearias e supermercados.

Mais informações no https://noticias.r7.