Por ciúmes, jovem é morto pelo cunhado e ex da namorada em Manaus

MANAUS – Até que ponto o ciúme pode transformar alguém sem antecedentes criminais em homicida? Cleudo Ribeiro Paes, de 27 anos, movido pela raiva de não aceitar o término de um relacionamento e ver a ex-companheira com outro, decidiu planejar a morte do atual namorado dela, o autônomo Sidivan da Silva Brazão, que tinha 20 anos, e foi assassinado a tiros.

Além de Cleudo, o irmão dessa mulher identificado como Ricardo Merquides da Silva, de 21 anos, também participou do crime ocorrido no dia 9 de maio deste ano em um sítio dentro de um ramal na rodovia federal BR-174.

Conforme o delegado Charles Araújo, os dois foram presos em cumprimento a mandado de prisão pela morte do autônomo. As prisões ocorreram na tarde de quarta-feira (19), nas proximidades da Marina do Davi, no bairro Ponta Negra, na Zona Oeste de Manaus.

“Foi um crime passional de acordo com as investigações. Cleudo não aceitou o término do relacionamento e ao ver a ex-companheira com Sidivan, decidiu matar o rapaz. Para isso ele contou com a ajuda do irmão dela e de um amigo deles identificado como Izael Miranda Bezerra, que também participou do crime e está foragido”, relatou o delegado Charles Araújo, titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

A autoridade policial informou ainda que no dia do crime os três invadiram o sítio e surpreenderam a vítima no momento em que ela dormia. Sidivan foi alvejado e na fuga Ricardo acabou deixando o aparelho celular no local, fato que ajudou a polícia a identificá-lo.

“Ricardo ainda tentou enganar a polícia e fez um Boletim de Ocorrência relatando que havia perdido o aparelho celular. Ao longo das investigações identificamos os três suspeitos e solicitamos as ordens judiciais. Agora estamos em busca do Izael que permanece foragido e inclusive foi quem efetuou os tiros contra Sidivan. A população pode repassar denúncias pelo número 181 de forma anônima”, destacou o titular da DEHS.

Protesto na delegacia 

Com pedidos de Justiça, a família de Sidivan esteve nesta quinta-feira (20), na porta da especializada, com cartazes pedindo Justiça para que Izael seja preso.

“Meu filho estava ferido e após ser baleado ainda levamos ele a uma unidade hospitalar onde ele não resistiu. Infelizmente isso aconteceu. Todos moravam nas proximidades e jogavam bola com a nossa família. Vamos clamar por Justiça até o final. Ele mandou tirar a vida do meu filho por ciúmes”, lamentou a mãe da vítima, a dona de casa Vanessa Cavalcante.

Cleudo e Ricardo foram encaminhados à Central de Recebimento e Triagem (CRT), onde irão ficar à disposição da Justiça. Eles irão responder ao crime de homicídio qualificado.

__ __ __

Foto: Divulgação

Fonte: Em Tempo