CPI da Covid: governador Wilson Lima é convocado para depor

A CPI da Covid aprovou, nesta quarta-feira (26), a convocação do governador do Amazonas, Wilson Lima, para prestar depoimento.

G1 solicitou um posicionamento de Wilson Lima e aguarda resposta.

Além de Wilson Lima, foram convocados outros oito governadores de estados onde há investigações sobre desvios na pandemia. São eles: Ibaneis Rocha (DF), Waldez Góes (AP), Helder Barbalho (PA), Marcos Rocha (RO), Antonio Denarium (RR), Carlois Moisés (SC), Mauro Carlesse (TO) e Wellington Dias (PI).

O ex-governador do RJ Wilson Witzel também foi chamado. A lista também inclui Arthur Weintraub e Filipe Martins, ex-assessores do presidente Jair Bolsonaro e apontados como integrantes de gabinete paralelo de aconselhamento sobre a pandemia.

A convocação de governadores é uma reivindicação de senadores governistas na CPI, que alegam que supostos casos de corrupção nos estados envolvendo recursos para combate à pandemia também precisam ser apurados.

A Comissão também aprovou a reconvocação do ministro da Saúde Marcelo Queiroga e do ex-ministro Eduardo Pazuello.

Reunião secreta

Na pauta da CPI da Covid desta quarta-feira (26), havia mais de 400 requerimentos, entre convocações e pedidos de informação, estavam previstos na fila aguardando votação.

Logo no início, o presidente da CPI da Covid, senador Omar Aziz (PSD-AM), suspendeu a sessão e chamou os senadores que compõem a comissão para uma reunião ‘secreta’.

Mayra Pinheiro depôs sobre crise no AM

A secretária de Gestão e Trabalho do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, depôs na terça-feira (25) na CPI da Covid. Entre os principais tópicos do depoimento, foram abordados os seguintes temas: orientações para uso da cloroquina, a crise do oxigênio em Manaus e o aplicativo Tratecov.

Mayra afirmou que o ministério nunca recomendou tratamentos para a Covid-19, apenas estabeleceu doses seguras para a utilização por médicos, que teriam autonomia para prescrevê-los. No entanto, em 4 de janeiro, em frente ao Hospital Delphina Aziz, em Manaus, Mayra defendeu o que chama de “tratamento precoce” . Mais tarde, defendeu a prescrição desse tratamento em entrevista à imprensa.

Em depoimento ao Ministério Público Federal em 12 de março, parte de uma ação que a investiga junto a outras seis pessoas, inclusive o ex-ministro Eduardo Pazuello, Mayra Pinheiro disse que o objetivo da missão era orientar os colegas médicos. Entre as recomendações feitas por ela estava o uso de cloroquina e hidroxicloroquina no que ela chama de “doses seguras”.

Em relação à falta de oxigênio em Manaus, Mayra Pinheiro disse que foi informada sobre a falta do insumo em 8 de janeiro pelo ex-ministro Eduardo Pazuello. A secretária também foi questionada sobre o lançamento do TrateCoV, que recomendava o “tratamento precoce” para a Covid-19.

*Por G1 AM

Foto: Reprodução Globo